PT | EN

“Senhoras e senhores, eis a produção do primeiro longa-metragem de animação brasileiro. É um trabalho árduo, mas Deus é brasileiro e vamos conseguir.” Assim começa o filme Sinfonia Amazônica, de Anélio e Mário Latini. Como vamos descobrir a seguir, trabalho árduo é pouco para descrever o processo de produção desses dois irmãos. Ser pioneiro não é fácil.

Irmãos Latini

Anélio (esquerda) e Mário (direita), os famosos Irmãos Latini

Tudo começou quando o folclorista Joaquim Ribeiro entregou o argumento sobre lendas da Amazônia (ao longo da narrativa são abordadas sete ao todo). O desenhista Anélio Latini Filho então tratou de dar forma a essas histórias, e para isso estudou a fauna, flora e mitologia amazônica. Já Mário, foi produtor e fotógrafo do filme.

A obra começou a ser rodada em 1947, mas foram necessários cinco anos para finalizá-la e o lançamento aconteceu apenas em 1953. Anélio fez 500 mil croquis, milhares de desenhos e centenas de cenários, todos coloridos apesar da animação ser em preto e branco, já que não havia verba para negativo a cores.

Isso tudo sozinho, numa rotina diária de trabalho de oito às quatro da manhã. Anélio inventou inclusive suas próprias técnicas, já que na época não existia indústria de animação no Brasil, muito menos escolas ou livros sobre o assunto.

trilha sonora é um marco do filme, sendo três canções compostas por outro membro da família, Hélio Latini. O clássico chorinho, presente na cena que os animais dançam samba na floresta, é uma das composições de Hélio.

Anélio Latini e personagens

Anélio Latini em meio a alguns dos personagens que animou

Hoje este projeto, resultado de tanta persistência e determinação dos irmãos Latini, está em busca de patrocínio para restauração de som e imagem originais do filme. O objetivo é que este marco para a animação brasileira chegue às novas gerações, e não fique preso ao passado.

Cartaz oficial da época em que o filme foi lançado, em 1953

Para ver saber mais sobre o filme, vale ver esse vídeo do programa Animania, da TV Brasil. É uma matéria especial dedicada à Sinfonia Amazônica.