BLOG

Anima Mundi

O diretor Chris Wedge se acostumou aos grandes números. Cabeça por trás da bem-sucedida franquia A Era do Gelo – além de Robôs e Rio, dos quais foi produtor executivo -, Wedge coleciona sucessos na carreira sem perder o espírito aventureiro. Convidado do Papo Animado, ele vem ao ANIMA MUNDI 2013 para dividir a experiência à frente do Blue Sky Studios, hoje reconhecido como um dos maiores estúdios de animação computadorizada do mundo.

A história de Wedge com animação começou aos 12 anos de idade, quando ele aprendeu pela TV a fazer stop-motions

Para Chris Wedge, visão sobre animação mudou após a paternidade: “de crianças a adultos, a história deve fazer sentido e tocar todos os públicos”

A história de Wedge com animação começou aos 12 anos de idade, quando ele aprendeu pela TV a fazer stop motions. Mais tarde, em 1981, seguindo a carreira acadêmica, se formou em belas artes e fez mestrado em computação gráfica. Chegou até a dar aulas na Escola de Artes Visuais de Nova York, onde conheceu seu parceiro em “Rio”, o brasileiro Carlos Saldanha.

Wedge chegou até a dar aulas na Escola de Artes Visuais de Nova York, onde conheceu seu parceiro em “Rio”, o brasileiro Carlos Saudanha

Em parceria com o Blu Sky Studios, o artista Michael Defeo criou esculturas reais dos personagens de Rio

Cinco anos depois, Wedge abriu o Blue Sky Studios, que começou como um pequeno escritório de efeitos visuais em Westchester County, ao norte de Nova York. Acumulando pequenos trabalhos, ele a equipe precisaram mudar de casa algumas vezes para acompanhar o crescimento da demanda.

Bunny é um filme de curta-metragem de animação estadunidense de 1998, vencedor do Oscar da categoria em 1999, dirigido por Chris Wedge

Curta-metragem Bunny inovou com abordagem adulta sobre espiritualidade e reencarnação

Em 1998, veio o grande reconhecimento de onde menos esperava-se. “Bunny“, escrito e dirigido por Wedge de forma descompromissada, segundo o próprio, faturou o Oscar de Melhor Curta de Animação. O prêmio deu gás adicional para o passo decisivo do estúdio, que em 2002 lançou o primeiro filme da franquia A Era do Gelo, indicada no ano seguinte a Melhor Animação na cerimônia americana.

O prêmio deu gás adicional para o passo decisivo do estúdio, que em 2002 lançou o primeiro filme da franquia A Era do Gelo

Artes conceituais dos personagens Diego e Cid, de A Era do Gelo, produzidas pelo Blu Sky Studios

Wedge e seu estúdio entraram de vez na grande indústria americana de cinema. De lá para cá, lançaram as outras três sequências de A Era do Gelo, Rio, e o recente Reino Escondido. E apesar do porte dos últimos trabalhos, Wedge não perdeu a visão autoral do início da carreira. “Gostaria de me juntar com um pequeno grupo de amigos, em algum lugar tranquilo, e fazer um filme mais independente. Algo que nos faça sentir livres sobre a narrativa e os personagens”, disse em entrevista ao site IGN.

Para ele, a indústria da forma como funciona hoje faz os filmes custarem muito, o que pressupõe o apelo a plateias estrangeiras

Wedge junto ao elenco de vozes original do filme Reino Escondido. Para ele, atores devem ter voz “elástica” para transmitir emoções

Para ele, a forma como a indústria funciona hoje faz os filmes custarem muito, o que exige que o produto final tenha apelo a plateias estrangeiras. “Acho que isso vai se enfraquecer no futuro. À medida que as tecnologias de produção ficam mais baratas, vamos poder fazer filmes com audiências selecionadas, o que resultará em projetos mais pessoais“, explica. Wedge ressalta ainda que os orçamentos estratosféricos causam uma grande pressão pelo sucesso das produções, o que pode ser criativamente frustrante para muitos.

E aí, vai perder esse Papo Animado (e antenado)?!

 

Papo Animado – Chris Wedge

10 de agosto
Fundição Progresso – Sala 1
Rua dos Arcos, 24, Centro, RJ

Ingressos: R$10 (R$5, a meia)

Comentários

Voltar

Telefones:
(55 21) 2543-8860
(55 21) 2541-7499

fb-form insta-form tt-form yt-form