PT | EN

Muita coisa boa em animação foi feita na Polônia, sabia? Pois é, esse país do Leste Europeu, com área um pouco maior que os estados do Rio de Janeiro e São Paulo juntos é responsável por um bom número de animações e por um estilo muito próprio. A escola polonesa de animação é vista como um grande expoente quando o assunto é tradição em filmes animados.

Entre os anos 1945 e 1991, o mundo vivia a Guerra Fria e a Polônia fazia parte do chamado Bloco Soviético. Sua produção estava bem longe da lógica capitalista da animação, simbolizada, principalmente, pelos estúdios Walt Disney, que ditavam as regras do mercado durante a época. Foi nesse período que os países da Europa Oriental recorreram a narrativas experimentais.

Os poloneses utilizavam fantoches e marionetes para contar histórias com temáticas de cunho social e político. Isso levou seus realizadores a aperfeiçoar o uso de stop motion. O estilo singular é marcado pelo pessimismo e tristeza, muito influenciado pelos anos de repressão do regime soviético. O pessimismo é temperado com reflexão filosófica e um senso de humor sarcástico, quase sempre amargo. Grande parte dos vídeos independe de tradução para ser compreendida, ultrapassando as barreiras do idioma.

Hipopotamy é um curta inspirado no comportamento de Hipopótamos, segundo o próprio diretor. Seu estilo é bem característico da Escola Polonesa de Animação

Hipopotamy é um curta inspirado no comportamento de Hipopótamos, segundo o próprio diretor. Seu estilo é bem característico da Escola Polonesa de Animação

Um exemplo dessa forma de se conectar com os espectadores é o filme Hipopotamy, do diretor Piotr Dumala. O curta, que está na mostra competitiva do ANIMA MUNDI 2014, mostra um pequeno grupo de mulheres e crianças se banhando em um rio, sendo observados secretamente por homens. De repente, eles desejam possuir as mulheres e decidem fazer isso de uma maneira nada gentil. Segundo o próprio Dumala, o filme foi inspirado no comportamento de hipopótamos e usa a técnica de desenho sore papel.

Na edição do ano passado, o festival fez uma sessão especial para filmes poloneses. Chamada de Escola Polonesa de Animação, a sessão trouxe filmes clássicos além de produções recentes. A mostra exibiu Tango (1980), primeiro filme polonês a ganhar um Oscar e dirigido por Zbigniew Rybczynski, além do moderno Laska (2008), de Michal Socha, que foi premiado no Festival Internacional de Animação de Annecy.

Abaixo você confere o filme Laska, que foi chamado de Chick em inglês:

Daqui do Brasil, a gente aproveita para parabenizar os amigos da Polônia e espera muito mais produções de lá! 🙂