BLOG

Anima Mundi

Por definição, animação é o processo no qual cada quadro ou fotograma de um filme é produzido individualmente. Quando esses fotogramas são postos em sequência e exibidos em curtíssimos intervalos de tempo, temos a ilusão de movimento contínuo.

Hoje, há uma grande variedade de estilos e técnicas sendo utilizadas para entreter crianças e adultos do mundo inteiro. Mas de onde surgiu tudo isso? Quem inventou a animação? Essa talvez seja uma pergunta sem resposta, ou com muitas respostas!

Cena de Animando

Curta-metragem Animando, de Marcos Magalhães

Os brinquedos óticos

Antes mesmo dos famosos Irmãos Lumière mostrarem ao público suas aventuras com o cinematógrafo em 1895, alguns dispositivos óticos já haviam sido criados. O taumatrópio – inventado por John Ayrton Paris, em 1824 – foi um dos primeiros. A mecânica era simples, um disco com uma gaiola desenhada em uma face e um pássaro na outra. Torcia-se um elástico preso ao “brinquedo” que, quando puxado, fazia (e ainda faz!) tudo girar em alta velocidade. As figuras se fundem em nossa retina graças a um fenômeno chamado persistência retiniana, e o que percebemos é a imagem de um pássaro preso na gaiola.

Cinco anos mais tarde, o belga Joseph Plateau formulou a teoria da persistência retiniana. Para demonstrar o fenômeno, criou as primeiras cenas em desenho animado da história. O cientista inventou um aparelho que chamou de fenaquistoscópio. Era um disco giratório com entre oito e dezesseis imagens ligeiramente diferentes entre si. Como o taumatrópio se limitava à fusão de figuras fixas, Plateau foi o primeiro a criar a ilusão do movimento.

Ilustração de um zootrópio

Quando o tambor do zootrópio gira, o cavalo "ganha" movimento

E mais cinco anos depois, já em 1834, William George Horner criou o zootrópio, máquina composta por um tambor circular com fendas, através das quais o espectador vê desenhos dispostos em seu interior. Ao girar o aparato, as imagens parecem estar em movimento. Pra quem se interessar em ver de perto, o Anima Mundi oferece oficinas de zootrópio durante o festival.

Emile Reynaud e seu praxinoscópio

Até então, esses dispositivos óticos tinham duas grandes limitações: trabalhavam com sequências curtas e seus desenhos animados não eram projetados para uma plateia – os espectadores se revezavam para assistir às produções individualmente. Mas o francês Emile Reynaud transformou esse cenário.

Ilustração de um praxinoscópio

Praxinoscópio, com seus espelhos que facilitam a visualização

Em 1877, ele apresentou sua nova invenção, um aperfeiçoamento do zootrópio, batizado de praxinoscópio. Ao optar por um jogo de espelhos onde antes havia ranhuras, Reynauld trouxe mais luminosidade à exibição e conforto ao espectador. Não satisfeito, adicionou lentes e luzes ao aparelho possibilitando a projeção em uma tela. E pra não deixar faltar nada, adaptou um sistema por onde passava uma longa tira de papel perfurado – similar à película cinematográfica usada hoje – no lugar do tambor fechado, acabando com a limitação cíclica das invenções anteriores. Emile Reynaud é hoje considerado por muitos o pai da animação.

O cinematógrafo e “Fantasmagorie”

Mas foi em 1895, com o cinematógrafo, que tudo isso ficou ainda mais popular. É verdade que outras exibições já haviam sido feitas, mas a de Auguste e Louis Lumière entrou para a história por seu primor técnico. O novo aparelho era um aperfeiçoamento do cinetoscópio, de Thomas Edison. A novidade era a sua versatilidade, ele era capaz de registrar uma série de instantâneos em fotogramas e reproduzi-los em uma tela, passando a ilusão de movimento. Em resumo, fazia sozinho o trabalho antes dividido por mais de um dispositivo: era uma máquina de filmar, de revelar película e de projeção.

Émile Cohl, diretor do primeiro filme completamente animado

Émile Cohl, diretor do primeiro filme completamente animado

Outro que muito contribuiu para a história da animação é outro Emile, Émile Cohl. Foi ele o autor de “Fantasmagorie“, o primeiro filme totalmente animado da história. Com 700 desenhos, o trabalho demorou cerca de cinco meses para ser finalizado e foi lançado no dia 17 de agosto de 1908. Com quase dois minutos de duração, o curta apresenta um fluxo de imagens sem uma estrutura narrativa fechada, mas determinada por uma lógica interna.

O surgimento da animação é um assunto polêmico. Inventos sucessivos e muito próximos esfumaçam a certeza de quem inventou o quê ou quem influenciou quem. O mais importante é que animadores de todo o mundo ainda hoje se inspiram nos trabalhos desses pioneiros responsáveis pelas bases dessa arte que, como vimos, foi na verdade uma grande criação coletiva. Dizem que duas cabeças trabalham melhor do que uma. Tantas mentes criativas e empenhadas, mesmo que separadas no espaço-tempo, só podia dar em coisa boa. Animação!

Comentários

Voltar

Telefones:
(55 21) 2543-8860
(55 21) 2541-7499

fb-form insta-form tt-form yt-form