BLOG

Anima Mundi

Prestes a estrear seu novo e último filme no Brasil (“Vidas ao Vento” chega aos cinemas nesta sexta, 28), o diretor e animador japonês Hayao Miyazaki concedeu uma rara entrevista ao site Buzz Feed onde conta um pouco mais sobre a decisão de se aposentar. “O trabalho de animação é uma construção com tijolos e argamassa. E eu senti que eu não seria mais capaz de colocar um tijolo”, conta.

Veja o trailer de “Vidas ao Vento”!

E não é para menos. Aos 73 anos, Miyazaki seguia a risca uma dura rotina de trabalho, que começava às 9h e terminava as 21h, nunca mais tarde que isso graças a um acordo com sua mulher. Além de criar todos os storyboards iniciais de suas animações à mão, o diretor fazia questão que tudo passasse sob sua aprovação nas fases seguintes de produção. Em suas palavras, “demandava tempo e energia”, que humildimente alega não ter mais.

"Para crescer o seu público, você deve trair as suas expectativas" - Hayao Miyazaki

“Para crescer o seu público, você deve trair as suas expectativas” – Hayao Miyazaki

Relembre a carreira do diretor e animador japonês!

“Ele é provavelmente o único autor a trabalhar em animação”, disse recentemente Lee Unkrich, diretor de Toy Story 3. “Cada quadro desses filmes são do jeito que são, porque Miyazaki queria eles dessa forma.” E isso não é apenas modo de dizer. Depois de passar os storyboard para sua equipe trabalhar nas sequências animadas, o diretor revia e, caso não conseguisse explicar verbalmente o que queria modificar, redesenhava ele mesmo.

Com trabalhos começando a fazer pilhas nas mesas do Studio Ghibli, o diretor e seu time perceberam que não estavam mais dando conta do recado. “Eu não tinha mais energia suficiente para corrigir tudo”, confessa Miyazaki. “Quando começava a ver uma cena, olhava para o canto para não ver os erros. É claro que eu saberia como corrigí-los, mas não temos tempo e energia para isso. Acho que já dei meu máximo na produção de animações”.

Avesso às novas tecnologias, Miyazaki continuou produzindo todo seu trabalho à mão. "Quando vejo pessoas trabalhando em computadores para criar animação é como assistir a algo mágico acontecer. Mas eu sempre viro as costas e volto para o lápis e o papel".

Avesso às novas tecnologias, Miyazaki continuou produzindo todo seu trabalho à mão. “Quando vejo pessoas trabalhando em computadores para criar animação é como assistir a algo mágico acontecer. Mas eu sempre viro as costas e volto para o lápis e o papel”.

Mas se por um lado Miyazaki vai se afastar do duro trabalho braçal, parece que não vai deixar de dar seus pitacos por aí. Em outra entrevista para o site japonês Rocket News 24, o artista criticou a atual indústria de animação no Japão. Ao desenhar o rosto de uma menina, explicou o que falta às produções de seu país.

“Se você não observa pessoas reais, você não pode fazer coisas assim, pois você nunca as viu. Algumas pessoas passam suas vidas interessadas apenas em si mesmas. Quase toda a animação japonesa é produzida sem nenhuma base da observação de pessoas de verdade. É produzida por humanos que não suportam olhar para outros humanos”.

Fazendo animação ou não, enquanto estiver vivo, Hayao Miyazaki será uma eterna fonte de conhecimento e sabedoria para todos os amantes e produtores da arte!

Ah, e para quem ainda não viu, aí vai uma homenagem que Miyazaki ganhou da série Os Simpsons. Segundo o produtor executivo Al Jean, ele e sua equipe vinham tentando desenvolver o vídeo há quase uma década.

Assista:

Comentários

Voltar

Telefones:
(55 21) 2543-8860
(55 21) 2541-7499

fb-form insta-form tt-form yt-form