O desenho favorito da animadora Chloe Miller quando criança era o clássico da Disney, A Pequena Sereia. Hoje ela conta que se identifica mais com animações como Princesa Mononoke e Nausicaä of the Valley of the Wind, animes (animação que tem o estilo mangá) do mestre japonês Hayao Miyazaki. Apesar da mudança do preferência pessoal da francesa ela produz hoje animações infantis, muito distintas das referências anteriores.

O filme Só dá Angelo – Guerra das Zarabatanas (Angelo Rules – The Spitball Wars), dirigido por Miller, foi exibido no ANIMA MUNDI este ano e ficou com o 2° lugar na categoria Melhor Curta Infantil de acordo com o Júri Popular do Rio de Janeiro. O curta-metragem é todo feito em computação gráfica 3D, produzido pela TeamTo e dristribuído pela Cake. Na verdade este é um capítulo da série televisiva Angelo, exibida na França, Estados Unidos, Canadá e também no Brasil, pela Rede Bandeirantes.

O trio de Só dá Angelo - A Guerra da Zarabatanas

O trio de Só dá Angelo - A Guerra da Zarabatanas

O personagem principal que dá nome à série é um menino de 11 anos que pretende controlar a sua vida por meio de estratégias que ele cria observando o comportamento humano. Angelo é esperto e dribla os pais, professores e a irmã mais velha com a ajuda de seus companheiros Sherwood, o expert em lógica, e Lola, a menina mais cheia de entusiasmo e energia da escola.

O programa de TV é na verdade uma adaptação da série de livros infantis Comment faire enrager… (Como enfurecer…), de Sylvie de Mathuisieulx. O interessante é perceber que as ilustrações do livro, feitas por Sébastien Diologent, possuem um estilo completamente diferente do escolhido por Chloe Miller. Compare a foto de cima com a ilustração abaixo: qual Angelo você prefere?

A ilustração de do livro que o curta ganhador do ANIMA MUNDI foi baseado: diferença grande de estilo

A ilustração do livro que o curta ganhador do ANIMA MUNDI foi baseado: diferença grande de estilo

Esse é o primeiro filme da francesa a ser exibido no festival. A artista tem outros filmes que fez enquanto estudou animação na École des Métiers du Cinéma d’ Animation e na La Poudrière, e também belas artes na École des Beaux Arts de Paris. Um deles é Poteline, que subverte os contos de fada e pode ser visto abaixo.

A dica de Chloe para animadores iniciantes é: seja curioso. Veja todos os filmes que puder, sem preconceitos. “A melhor experiência educacional é ver o que outros animadores talentosos estão fazendo ao redor do mundo” – comentou a artista em entrevista dada à Animation Magazine. Tem lugar melhor que o ANIMA MUNDI pra isso?