PT | EN

Animemória

2009

Vinheta

Catálogo

Ilustração do Ano

“A ilustração e o trailer que criei para o Anima Mundi 2009 mostram todas as belas e estranhas criaturas que conheci quando fui convidado do festival em 2008: Betty Rainha dos Coquetéis, Ruth, Karl Marx, o grande Bill, Bao Bao, Jimmy Blizzo, Danny Schoscho, Ariel & Michele, Agusto Tezuko, Uncle Sheldy, Aley & the Jungle Boys, Rainha Lea, Condessa Aida, o doce Caesar, Marco Mc Mag e muitos outros. Obviamente tive que refazer seus rostos e dar outro nome a todos eles. Fiz a ilustração em azul e rosa, com highlights em vermelho, porque é assim que me lembro do Brasil. Desejo a vocês todos um lindo festival com pessoas e filmes inspiradores.” Andreas Hykade

Repleto de humor e irreverência, o trabalho autoral do talentoso ilustrador alemão inclui filmes como “We Lived in Grass” (Vivíamos no Campo, 1995), o western “Ring of Fire” (Círculo de Fogo, 2000), “The Runt” (O Nanico, 2006), além de videoclipes e a série de TV para crianças “Tom & the Slice of Bread with Strawberry, Jam & Honey”.

O público reconhecerá no troféu do festival, fabricado por Agnaldo Pinho, nosso mascote Guto vestido com Andreas, seu inseparável chapéu preto. A vinheta do Anima Mundi 2009 foi produzida com o apoio da produtora FILM BILDER.

Galeria de Fotos

Destaques

Sessões Especiais
LAIKA apresenta “Coraline”

A produtora americana LAIKA veio ao festival especialmente para fazer uma apresentação especial da produção do filme “CORALINE”, roteirizado e dirigido por Henry Selick (“O Estranho Mundo de Jack” e “James e o Pêssego Gigante”) e baseado no livro de Neil Gaiman.

Esse foi o primeiro longa de stop-motion filmado e exibido em projeção estereoscópica 3D. Scott Tom, construtor de bonecos, trouxe alguns dos bonecos feitos por ele para o filme e juntamente com Mike Cachuela, co-supervisor de storyboard, conversaram com o publico sobre a trabalhosa produção do filme.

Walt Disney Animation Studios apresenta“BOLT – Making Of!”
Os Estúdios de Animação Walt Disney dão vida à imaginação através de vários tipos de filmes de animação. Uma equipe talentosa e diversificada, com profissionais de todos os cantos do mundo que compartilham a paixão pela criação de filmes belos e memoráveis por meio da arte de narrar, da magia da animação e da tecnologia de ponta.

O brasileiro Renato dos Anjos (Supervisor de Animação) e o catalão Leo Sanchez-Barbosa (Modelador de Personagem) conversaram sobre o processo de criação do personagem principal de “BOLT”, desde o conceito de design original ao seu ‘look’ final de superherói.

O Oi Futuro apresentou uma palestra sobre “Animação para as Novas Mídias”, mostrando recentes iniciativas que exploram e aplicam estas novas propostas, como o Cel.U.cine, festival de micrometragens digitais, o projeto Multiplicidade> Imagem_Som_inusitados, que combina música e arte digital contemporânea, e a experiência do NAVE, que integra mídias digitais e games à grade de ensino da escola pública.

Neste painel, promovemos um encontro entre estas iniciativas e os animadores presentes no festival, com um debate sobre formas de explorar essas novas mídias, adequando melhor a animação à elas.

WORKSHOP
O animador, roteirista e artista de storyboard americano Mike Cachuela apresentou o workshop “A Criação do seu Filme”, no qual foram abordados os passos iniciais para a criação de um filme de animação profissional.

Cachuela trabalha na LAIKA com o desenvolvimento de roteiro de longas e foi co-supervisor de storyboard em “Coraline”, dirigido por Henry Selick. Foi ainda roteirista e artista de storyboard de sucessos como “Os Incríveis”, “Toy Story”, “FormiguinhaZ”, “James e o Pêssego Gigante” e “O Estranho Mundo de Jack”. Também desenvolveu os primeiros tratamentos do roteiro de “Ratatouille”, da Pixar, e supervisionou os storyboards de “A Noiva Cadáver” de Tim Burton.

Mostras Especiais
Linda Simensky
Além de ser um dos destaques do Anima Fórum, apresentou uma sessão especial no festival com 4 episódios de séries de animação que inovam em tecnologia de produção, conteúdo e narrativa. Simensky é diretora sênior de programação infantil da TV americana Public Broadcast Service (PBS).

A PBS produz séries educativas com conteúdo original e significativo dirigido a crianças em idade pré-escolar até os primeiros anos do ensino fundamental, destacando-se no competitivo ambiente da programação infantil da televisão norte-americana.

O que vem pra TV
Pilotos e episódios de séries de animações brasileiras recém-produzidas para a TV, refletindo o fortalecimento da indústria de animação nacional e seus desdobramentos em parcerias internacionais.

Grafite Animado
O Grafite Animado foi criado por Marcio Ambrosio e Sophie Klecker, do coletivo ZZZMUTATIONS, com tecnologia e programação de André V. Perrota. Essa instalação permitiu ao público animar com grafites virtuais em uma parede, criando desenhos sucessivos com um lápis de luz colorido. Cada visitante acrescentou a sua animação, criando um grande mural animado coletivo.

Convidados

Amid Amidi (EUA)

Amid Amidi é bem conhecido por escrever no imprescindível site Cartoon Brew (www.cartoonbrew.com), lançado em 2004 em parceria com Jerry Beck que, assim como Amid, é autor e historiador de animação.

Em 1996, Amidi criou o pioneiro site sobre animação “Animation and Cartoon Heaven”, que dois anos depois se tornou o “Animation Blast” (www.animationblast.com), uma revista sobre animação com versão impressa até sua 9° edição. Em 1998, Amidi tornou-se editor associado da “Animation World Magazine”, a primeira publicação mensal na web sobre animação.

Amid publicou “The Art of Robots” sobre o processo de criação do longa “Robôs” da Blue Sky/Fox e editou “Inside UPA”, uma compilação de fotografias inéditas do lendário estúdio de animação de Nove York.

O papo animado de Amid se baseou em seu premiado livro “Cartoon Modern: Style and Design in Fifties Animation”, apresentando filmes e slides dos mais importantes e influentes filmes dos anos 50.

Homenagem aos Irmãos Latini

Anélio Latini Filho e Mário Latini foram os autores de Sinfonia Amazônica, o primeiro longa-metragem de animação brasileiro, iniciado em 1947 e lançado em 1952. Ainda adolescentes, os irmãos se iniciaram no desenho animado fazendo juntos o curta-metragem “Azares de Lulu”. Mário começou a trabalhar no setor de cinema do Departamento de Imprensa e Propaganda (DIP) em 1940, e Anélio fez a sua primeira exposição coletiva de pintura em 1946.

Filmado em preto & branco, a partir de um argumento do folclorista Joaquim Ribeiro, “Sinfonia Amazônica” narra sete lendas do Amazonas, com personagens como o malandro Jabuti, exímio tocador de flauta, Cobra Grande, mãe de todas as águas, o Urutáu, pássaro apaixonado pela Lua, e o Curupira, o protetor da floresta.

Anélio fez praticamente sozinho os cerca de 500 mil desenhos (entre croquis, artes-finais, cenários e desenhos definitivos em folhas de acetato ou papel opaco), filmados pelo irmão Mário utilizando uma câmera Ernemann Krupp.

Um divertido documentário, narrado pelo ilustre radialista Almirante, serve de introdução ao filme e mostra os incríveis detalhes da heróica produção, que levou seis anos para ser finalizada e lançada.

Em 1968, Anélio iniciou outro longa animado, “Kitan do Amazonas”, dessa vez a cores, mas a produção foi interrompida e infelizmente nunca concluída. O Papo Animado foi apresentado por Márcia Latini, filha de Mário, que falou da trajetória desses grandes pioneiros da animação brasileira e da luta para preservar e restaurar o que restou da obra deles.

Michel Ocelot

Michel Ocelot nasceu em 1943 na Côte d’Azur, França, mas passou a infância em Guiné, oeste da África. O convívio com outra cultura certamente influenciou sua trajetória artística e sua predileção pelas fábulas. Ocelot é um exímio narrador. Seus príncipes, princesas, fadas, feiticeiras e o famoso menino africano Kirikou, que já nasce falando, encantam platéias de todas as idades.

Para elaborar seus roteiros, que valorizam as diferenças étnicas, religiosas e culturais, Ocelot parte de referências estéticas e dos contos tradicionais de outras culturas. Formou-se em Artes na École régionale des Beaux-Arts, em Angers, na École Nationale Supérieure des Arts Décoratifs, em Paris, e no California Institute of the Arts, em Los Angeles.

Iniciou-se na animação fazendo curtas-metragens e séries de TV, como “Gédéon” (1976), “A Princesa Insensível” (La Princesse Insensible, 1986) e “Os Contos da Noite” (Les Contes de la Nuit, 1992). Mas foi o seu primeiro longa, “Kirikou e a Feiticeira” (Kirikou et la Sorcière, 1998) que tornou o animador conhecido do grande público.

O filme conquistou diversos prêmios, entre os quais o Grand Prix em Annecy. Em seguida, Ocelot dirigiu mais três longas: “Príncipes e Princesas” (Princes et Princesses, 2000), “Kirikou e os Animais Selvagens” (Kirikou et les Bêtes Sauvages, 2005) e o épico “Azur e Asmar” (2006), que narra os encontros e as desavenças entre dois meninos de culturas diferentes que são criados por uma mesma mulher. Em 2007, Björk convidou-o para fazer o videoclipe da música “Earth Intruders”.

Nesta edição, Anima Mundi também apresentou uma mostra especial dos longas de Ocelot.

Priit Parn (Estônia)

A Estônia é um pequeno país em um cantinho da Europa, com menos de um milhão e meio de habitantes. É um reino encantado da animação, onde se produzem muitos filmes, alguns deles os mais loucos e inovadores desta linguagem. Priit Pärn tem muita responsabilidade nesta história, pois é o animador estoniano mais célebre e produtivo até hoje, e o inspirador e incentivador de vários outros artistas, dentro e fora de seu país.

Nasceu em 1946 em Tallinn, Estônia. Formado em biologia, trabalhou no jardim botânico local como ecologista de plantas entre 1970 e 1976. Mas desde 1960, Pärn já se dedicava às caricaturas e às ilustrações. No início dos anos 1980, começou a trabalhar como artista gráfico freelancer, realizando dezenas de exposições individuais na Europa e no Canadá.

Da caricatura ao cinema de animação foi só um passo, Pärn começou a fazer sua crítica política e existencial através dos seus próprios filmes, com um traço singular e atmosferas surrealistas, como “Breakfast on the Grass” (1987), que critica a burocracia e o autoritarismo da vida soviética. Após ser diretor de arte e de animação da escola Joonisfilm do Tallinnfilm Studio, desde 1994 trabalha no Eesti Joonisfilm Studio.

Entre os seus curtas-metragens mais conhecidos e premiados estão “The Triangle” (1982), “Hotel E” (1992) e “Night of the Carrots” (1998). O estilo de Pärn influenciou várias gerações de animadores estonianos e inspirou produções comerciais americanas, como “Rugrats”, do canal Nickelodeon. Seu trabalho mais recente é o longa-metragem “Life Without Gabriella Ferri” (2008).

Em 2002, recebeu o prêmio Lifetime Achievement da International Animated Film Association em reconhecimento por sua carreira. Pärn é também professor de animação há dezoito anos, tendo sido diretor de arte do Departamento de Animação da Turku Art Academy na Finlândia entre 1994 e 2007. Desde 2006, é chefe do Departamento de Animação da Estonian Art Academy e atual membro da European Film Academy.

Prêmios do Júri Profissional

Melhor Animação
“Muto”
Blu
Itália

Melhor Direção de Arte:
“French Roast”
Fabrice O. Joubert
França

Melhor Roteiro
“Skhizein”
Jeremy Clapin
França

Melhor Trilha Sonora
“Le Petit Dragon”
Bruno Collet
França

Melhor Filme de encomenda:
“Audi Unboxed”
Aaron Duffy e Russell Brooke
Reino Unido

Prêmios do Júri Popular

Melhor Curta-Metragem RJ/SP
1º – “Mon Chinois”, Cédric Villain, França
2º – “This Way Up”, Smith & Foulkes, Reino Unido
3º – “Wallace and Gromit: A Matter of Loaf and Death”, Nick Park, Reino Unido

Melhor Filme de Estudante RJ/SP
RJ
1º – “Our Wonderful Nature”, Tomer Eshed, Alemanha
2º – “For Sock’s Sake”, Carlo Vogele, França/Estados Unidos
3º – “Seconde Classe”, Boris Belghiti, França

SP
1º – “For Sock’s Sake”, Carlo Vogele, França/Estados Unidos
2º – “Our Wonderful Nature”, Tomer Eshed, Alemanha
3º – “Seconde Classe”, Boris Belghiti, França

Melhor Curta Infantil RJ e SP:
1º – “Paul e o Dragão (Paultje En De Draak)”, Albert ‘t Hooft e Paco Vink, Holanda
2º – “Achados e Perdidos (Lost and Found)”, Philip Hunt, Reino Unido
3º – “O Rei da Ilha (Il Re Dell’Isola)”, Raimondo Della Calce, Itália

Melhor Longa RJ/SP
1º – “Mia Et Le Migou”, Jacques Rémy Girerd, França
2º – “$9.99”, Tatia Rosenthal, Austrália
3º – “The Good Soldier Shweik”, Robert Crombie, Ucrânia/Reino Unido

Melhor Animação Brasileira RJ e SP:
RJ
1º – “Josué e o Pé de Macaxeira”, Diogo Viegas, Brasil
2º – “O Divino, De Repente”, Fábio Yamaji, Brasil
3º – “O Anão que Virou Gigante”, Marão, Brasil

SP
1º – “O Divino, De Repente”, Fábio Yamaji
2º – “Josué e o Pé de Macaxeira”, Diogo Viegas
3º – “O Anão que Virou Gigante”, Marão

Prêmio Núcleo de Cinema de Animação em Campinas

“L.E.R.”
João Angelini
Brasil

Demais Prêmios

PRÊMIO AQUISIÇÃO DO CANAL BRASIL
“Josué e o Pé de Macaxeira”
Diogo Viegas
Brasil

Anima Mundi Celular – Prêmio Popular
“Segredo do Artista”
Marcelo de Carvalho Ortolani
Brasil

Anima Mundi Web – Prêmio Popular
“Cidadão de Papelão”
Ivan Mola
Brasil

Anima Mundi Celular – Prêmio Profissional
“A Roda”
Mauro Souza
Brasil

Anima Mundi Web – Prêmio Profissional
“Pimienta”
Juan, Mariano, Diego e Franco
Argentina

Making Of

ENTRE EM

CONTATO

Instituto IDEIA

Rua Voluntários da Pátria, 259 – sobreloja Botafogo, RJ - Brasil 22270-003

Contatos:

(55 21) 2543-8860
(55 21) 2541-7499

contato@animamundi.com.br