PT | EN

Comemoramos os 450 da Cidade Maravilhosa falando de Rio, o longa feito em homenagem a ela. O filme tem um visual lindo e uma história encantadora; não é surpresa que ele tenha conquistado o mundo inteiro! Mas a gente sabe que o Rio, assim como muitas outras cidades brasileiras, tem problemas sérios que, às vezes, acabam não sendo mostrados no cinema. Por isso, não podíamo deixar de comentar sobre uma produção que também fala do Brasil, mas com uma visão crítica da realidade. Afinal, a animação carrega muito potencial de transformação e crítica social, além de ser ideal para mostrar diferentes olhares sobre um mesmo assunto.

Vamos falar do filme que surpreendeu o Brasil e o mundo: Uma História de Amor e Fúria mostrou faces menos conhecidas do nosso país, não tendo sua história contada pelos vencedores: o protagonista é tupinambá, escravo e “subversivo”. Na animação, vemos o mundo por outros olhos.

Luiz Bolognesi

O filme foi o grande vencedor do Festival de Annecy, tendo como diretores de animação Bruno Monteiro e Jean e Marcelo de Moura

 O filme gira em torno de um guerreiro indígena que transcende o tempo em busca de sua amada, Janaina, apenas para perdê-la novamente. Com isso, ele passa por quatro momentos chaves da história do nosso país: a colonização, a escravidão, o regime militar e o futuro. De acordo com o diretor Luiz Bolognesi, “nosso cinema não se dedica muito a contar de uma maneira interessante, com viés de entretenimento e reflexão, aspectos da nossa história”. Nesse sentido, a animação se encaixa muito bem, possibilitando discussões sobre qualquer assunto através de qualquer perspectiva.

Em uma crítica, Alessandra Verch descreve bem o efeito da animação:

o filme consegue conectar de forma interessante e convincente tempos longínquos da história do Brasil a um passado recente e a um futuro incerto. As disputas pelo poder e pelos recursos necessários para a sobrevivência, sejam eles materiais ou simbólicos (dinheiro ou dignidade), são o que une diferentes populações que habitaram o mesmo território”.

Um filme que mostra nosso país através de outra perspectiva, propondo uma reflexão necessária sobre a história e a realidade brasileira. Já deu para ver todo o potencial que a animação carrega, certo? É realmente muito bom ver tanta variedade e tanto talento nessa arte!