PT | EN

O diretor russo Fyodor Khitruk, pai de clássicos dos anos 60 como “Film, film, film” e de uma histórica versão soviética para o “Ursinho Puff” (“Winnie the Pooh”), faleceu aos 95 anos no último dia três. Ao longo da vida, criou mais de 200 personagens para 102 animações.

animação russa tem muita tradição. Teve início ainda nos tempos de Império, mas conheceu seu período mais fértil quando era República Soviética, quando a estatal Soyuzmultfilm era o maior estúdio do país. A grande variedade de estéticas e a constante busca por novidades marcam este período, que teve como expoentes Ivan Ivanov-Vano, Aleksandr Tatarskiy e o próprio Fyodor Khitruk. Nos anos 2000, a animação russa voltou a se erguer com a ajuda de diretores como Aleksandr Petrov e estúdios como o Melnitsa.

Fyodor Khitruk

Fyodor se apaixonou por animação na Alemanha e a transformou na Rússia

Foi durante uma viagem que fez com o pai à Alemanha que Khitruk se apaixonou por desenhos animados. De volta a Moscou, começou a estudar animação com o desejo de trabalhar na grande Soyuzmultifilm, estúdio coordenado pelo governo soviético. E foi difícil! Fyodor tentou entrar na empresa por três anos, até que conseguiu já em 1938. Evoluiu, e em 1959 se tornou diretor.

Sua estreia no novo cargo aconteceu com “The Story of a Crime” (História de um Crime), em 1962. O filme foi um grande sucesso, lhe garantiu um prêmio no Festival de São Francisco e marcou o início de uma nova era para a animação soviética, então ofuscada pelo regime socialista. Mesmo durante um regime fechado e com muita censura, Khitruk conseguiu dar um toque crítico e individual a seus filmes, driblando os censores com seu humor inteligente.

The Story of a Crime (A História de um Crime), 1962

Cena de "As férias de Bonifácio" (1965)

Frente ao naturalismo difundido pela Disney na época, Khitruk procurou sua própria identidade. Desenvolveu um estilo de arte mais livre, menos exuberante, mais econômico e mais contemporâneo. Tudo isso lhe valeu a Palma de Ouro em Cannes e outras dezenas de prêmios na Rússia e no mundo.

Primeiro curta da trilogia russa de "Ursinho Pooh", 1969

O olhar de Fyodor para o clássico "Ursinho Puff"

Sua relação com a animação era mesmo especial. Aos 91 anos, lançou um livro em dois volumes intitulado “A Profissão da Animação”, no qual descreve seus 50 anos de carreira – infelizmente ainda não traduzido do russo…