PT | EN

 

Você sabia? Nos primórdios da internet, o GIF era o jeito mais leve e fácil de publicar uma animação na rede. Caso você tenha nascido depois de 1990, a gente explica: as conexões disponíveis não tinham nem ⅓ da capacidade e da velocidade com que navegamos hoje em dia. Por isso, esse era o único formato possível para se assistir a pequenas animações nos browsers, com um detalhe: sem usar som! Era preciso muita criatividade para driblar todos estes obstáculos. E, claro, a gente adora o fato deste desafio criativo ter voltado com tudo hoje em dia.

Por isso, escolhemos esse formato para comemorar o dia dos namorados. E convidamos vocês para nos ajudar a deixá-lo mais animado no concurso que divulgamos nesse post. A gente recebeu muitos materiais legais, mas tínhamos que escolher só três. E eles foram divulgados no dia 12 no nosso Facebook. Nós conversamos com os vencedores para saber um pouco mais sobre as criações.

O primeiro selecionado foi o GIF criado pelo trio Priscila Limonta, Felipe Molica e Adriano Borges. A Priscila contou pra gente que é animadora e ela e o Adriano são sócios de uma produtora de animação em São Paulo, a Bugbite. O Felipe Molica é animador e também trabalha na produtora. “Todo mundo gostou da ideia de participar do concurso e topamos juntar forças pra fazer o GIF!”, disse.

Sobre o GIF, ela disse que a ideia era quebrar estereótipos. “Não queria retratar um casal jovem como normalmente acontece. Por isso pensei em trabalhar o amor na terceira idade e surgiu essa ideia deles dançando em um momento íntimo. O Adriano desenhou esses personagens super fofos e o Felipe deu o talento na animação”.

A Priscila começou a trabalhar com animação de entretenimento assim que encontrou a primeira brecha. O primeiro projeto que dela foi na série animada “Lala”, que teve episódios exibidos no Festival Anima Mundi. Ela também já animou as vinhetas do Dia Internacional da Animação dos anos 2012 e 2013 e trabalhou com o clipe animado Polvo Paul, do grupo Angudadá.

O segundo gif selecionado foi do Felipe Molica. Sim, o mesmo que trabalha com a Priscila e contribuiu com o gif do casal de velhinhos. Ele nos disse que tem visto esse estilo de personagem frame a frame e tinha vontade de expeprimentar. Então, foi a oportunidade. “A ideia foi criar uma animação relativamente simples e preenchê-la com vários casais não só reconhecíveis como contrastantes entre si, e logo depois fechei por usar só personagens de filmes”.

O mais legal da nossa conversa com o Felipe foi descobrir que seu primeiro contato com animação foi em um Festival Anima Mundi. “Minha primeira animação deve ter sido na oficina de massinha do Anima Mundi, quando eu obviamente não sabia que era possível viver disso. Isso foi provavelmente no ano 2000. Anos depois, eu conseguiria fazer o meu primeiro curta durante uma matéria da faculdade de design, o que acabou me abrindo portas para um estágio em motion graphics”. 

A partir daí, ele já trabalhou em animação de séries como “Meu AmigãoZão”, “Tromba Trem” e “Historietas Assombradas”. Seu curta de graduação “Trilha do tigre” foi exibido na sessão Olho Neles do Festival Anima Mundi em 2014.

E, para finalizar, temos o GIF criado pela Cíntia Maria, de Salvador. Ela é cineasta, social media e trabalha com animação em stop motion. De acordo com ela, o GIF aborda de forma delicada a atemporalidade do amor e a homossexualidade. “A velhice ainda é sinônimo de solidão e abandono para muitos gays. Diferentemente do clichê, esse gif não retrata um gay jovem, alegre e com barriga de tanquinho, mas retrata a morbidez de um passado de repressão e a esperança por um futuro melhor que não chega”, disse. 

Cintia já dirigiu, junto com Jamile Coelho, a animação em stop motion “Òrun Àiyé: a Criação do Mundo” (2015) que recebeu o prêmio do júri popular de melhor filme do “Festival de Cinema Baiano” e menção honrosa “Novos Talentos” do Festival Brasil Stop Motion. Atualmente ela está dirigindo dois filmes de animação em stop motion, um sobre o sertão e outro sobre os Orixás.