BLOG

Anima Mundi

Macarrão é pra comer, gesso para esculpir, post-it para escrever. Certo? Errado. Tudo isso pode virar arte. Que você pode assistir no ANIMA MUNDI deste ano.

Kali The Little Vampire é um filme que utiliza a gravação em gesso, junto com computação gráfica, para contar a história de um jovem vampiro solitário, que sonha em brincar à luz do dia com as outras crianças. Regina Pessoa dirige e anima o curta, que é produzido pelo prestigiado National Film Board of Canada.

Esta animadora portuguesa é bastante familiarizada com esta técnica, já utilizada em outros dois filmes seus, que junto com Kali formam uma trilogia sobre o medo e a auto aceitação na infância. História Trágica Com Final Feliz e A Noite, filmes anteriores, já foram exibidos no ANIMA MUNDI.  Regina fala sobre a técnica peculiar no Artigo Pixel. Ela já começa o texto advertindo: “A técnica de animação de gravura em placas de gesso não é uma técnica comum, não é uma técnica fácil, nem é uma técnica aconselhável!…Mas permite resultados plásticos ímpares!”

Regina Pessoa

As placas de gesso de Regina devem ser preparadas com um semana de antecedência para que fiquem completamente secas

Regina explica ainda a importância do storyboard na escolha da técnica a ser utilizada. Ao desenhar o filme quadro-a-quadro é mais fácil compreendê-lo, e acabar com “dúvidas de colocação da câmera, de enquadramento, de continuidade narrativa, de raccord entre os diferentes planos, de grafismo, etc.” – como a própria Regina explica.

Kim Jin-Man acredita que experimentando animação em stop motion com diversos objetos é que chega-se ao ideal. No caso dele, um tipo de macarrão coreano bem fino, o so-myeon. O seu filme Noodle Fish lança perguntas como se realmente existe liberdade verdadeira, ao acompanhar a trajetória de um peixe que tenta a todo custo sair do pequeno lago em que mora. Refletir sobre questões existenciais utilizando macarrão: não é pra qualquer um.

O peixe de Kim Jin-Man

O peixe de Kim Jin-Man, insatisfeito com sua condição

Também não é pra qualquer um participar de uma premiação no Festival de Cannes com seu curta de graduação. Steven Briand foi um dos finalistas do Audi Talents Awards com seu curta que tem a simplicidade como primor. Sem um roteiro clássico, Frictions mostra a, em momentos, dança, em outros, luta de um homem com formas abstratas, formadas por post-it’s. O filme mistura live-action e stop motion.

Ousadia é a marca desses cineastas que se arriscaram por caminhos pouco usuais. Na animação nada é impossível: seja dançar com post-it’s, fazer peixes de macarrão, usar gesso para gravar imagens… O uso desses objetos muda: em vez de terem a utilidade prática que já conhecemos no nosso cotidiano, nessas obras eles viram arte. O ANIMA MUNDI reconhece o trabalho destes animadores, que você pode conferir este ano, entre 13 e 22 de julho no Rio e de 22 a 29, em São Paulo.

Comentários

Voltar

Telefones:
(55 21) 2543-8860
(55 21) 2541-7499

fb-form insta-form tt-form yt-form