BLOG

Anima Mundi

No Anima Mundi 2014, nós tivemos uma produção muitíssimo especial de dois talentos da animação! Quem conferiu Monkey Love Experiments, de Ainslie Henderson e Will Anderson? A história é sobre um macaquinho chamado Gandhi que acha que está destinado à lua. Como os animadores disseram, é um filme sobre amor, macacos e o homem pousando na lua. Já está curioso? Então olha que sorte, nós achamos uma entrevista que eles deram para o podcast Directors Notes e aprendemos muito sobre a produção. Tudo para contar para vocês, é claro.

A história do curta surgiu de um jeito um tanto único. Na época, Ainslie andava pensando nos tempos em que a NASA mandava macacos para o espaço, o que aconteceu mais ou menos ao mesmo tempo em que o psicólogo Harry Harlow estava realizando uma séries de experimentos com macacos.

Ainslei Anderson; Will Anderson

A dupla se inspirou nas filmagens originais de Harry Harlow para fazer o filme

Harry, infelizmente, fez várias crueldades com os animais, mas, de acordo com Ainslei, o cara tinha um estudo bem interessante: ele queria provar que macacos e, consequentemente, pessoas precisam de amor para viver. A coisa é que, naquela época, a medicina dizia que um tapinha no ombro para dar boa noite ao seu filho era afeição o suficiente. Até mesmo psicólogos super respeitados defendiam uma proteção de vidro para manter as crianças a salvo de germes. Dá pra acreditar?

Como diz Ainslie, mesmo de um jeito um tanto “torta”, Harry foi pioneiro em um tipo de relação entre os pais e seus filhos que fosse amável. Por isso, o animador começou a pensar em progresso, ciência e tentativas de chegar ao espaço e viu que o amor, em meio a tudo isso, foi esquecido. Falando para Will sobre esses pensamentos meio aleatórios, os dois fizeram uma narrativa coerente e, juntos, escreveram um super roteiro.

Ainslei Anderson; Will Anderson

Como o filme se passa nos anos 60, os animadores o fizeram em 4:3

A produção foi uma mistura dos talentos dos animadores, que resultou em uma animação com stop motion, live action e 3D. Incrível, não é? Segundo eles, as habilidades digitais eram de Will, que ficou responsável pelo visual do filme. Ainslie é especializado em stop motion e lidou mais diretamente com o personagem principal.

Falando no Gandhi, ele foi um dos maiores desafios de Ainslie! O boneco foi feito por Sharna Rothwell e Donald Holwil, que tiveram que envolvê-lo todo com uma pele de silicone para fazer com que os pelos parecessem reais. O efeito ficou sensacional, mas o silicone fez com que o macaco ficasse super pesado! Coitado, o boneco até quebrou as costas durante a filmagem… Segundo Ainslie, ele teve que fazer uma operação de emergência! Mas acredite, isso foi mais fácil do que a ideia original: eles queriam treinar um macaco de verdade! Parece que os bichinhos não são atores tão bons.

Ainslei Anderson; Will Anderson

Ainslie disse que, onde morava, havia um lugar para fazer cerâmica no porão. Ele passava noites lá mexendo em argila e esculpindo pessoas, personagens e objetos

Ainda bem que deu tudo certo! Segundo Ainslie, o stop motion acabou sendo a melhor técnica para animar o macaco. Como os experimentos de Harlow eram sobre toque e afeição, o animador queria que Gandhi estivesse no filme de um jeito que você sentisse que “poderia se inclinar e tocar nele” e o “stop motion é realmente efetivo em encorajar esse sentimento”.

Para Will, os desafios foram outros. Ele teve que combinar stop motion com live action, o que foi um tanto complicado. Além disso, eles usaram filmagens originais da chegada à lua; dá pra imaginar o quão difícil foi criar, com isso, elementos 3D? Afinal, ele teve que recriar a realidade para animar a cena.

Will Anderson

Will diz que trabalha muito com animação, mas que gosta de pensar em si mesmo como um cineasta

Mas todo o esforço valeu a pena! O filme foi super bem recebido em todos os lugares por onde passou. No Festival Internacional de Cinema de Edimburgo, os animadores levaram para casa o prêmio de Excepcional Contribuição Individual para Curta-Metragem, pelo roteiro e pela direção.

Esses caras já devem ter se acostumado a ganhar prêmios! O filme The Making of Longbird recebeu mais de 18 premiações, incluindo o Melhor Curta de Animação pelo BAFTA 2013 e Melhor Filme de Formatura no Annecy! Grandes prodígios, não é? E depois eles ainda fizeram outro filme juntos, Scroogin on a Greg. Que dupla!

Falando deles separadamente, Ainslie levou para casa o prêmio BAFTA de Novo Talento pelo filme It’s About Spending Time Together. Em 2012, ele fez o curta I am Tom Moody, que foi super premiado também! Inclusive, ele arrasou no Annecy, levando o Prêmio Especial do Júri. E sabe do que mais? O cara também é ator!

O Will já trabalhou em mil coisas diferentes! Ele é especializado em design e animação de personagens para filme e televisão, e isso o levou para muitos lugares! Ele esteve em várias produções profissionais, desde documentários, até séries animadas para crianças e adultos.

Esses dois vão longe! Temos certeza que terão muito mais sucessos pela frente e esperamos que eles voltem logo para o Anima Mundi! Mal podemos esperar para descobrir o que esses animadores vão inventar agora.

 

Comentários

Voltar

Telefones:
(55 21) 2543-8860
(55 21) 2541-7499

fb-form insta-form tt-form yt-form