BLOG

Anima Mundi

O ANIMA MUNDI completa duas décadas e traz uma novidade para os fãs de animação que acompanharam sua evolução. Uma mostra com o melhor do maior festival de animação do país que começou hoje e vai até dia 19 de agosto. E a embalagem desse presente não poderia ser mais bela: a beira da Baía de Guanabara, com vista privilegiada para o Pão-de-Açúcar.

Monumento Estácio de Sá

O Monumento Estácio de Sá iluminado para receber a exposição dos 20 anos de ANIMA MUNDI

A paisagem recentemente consagrada como Patrimônio Cultural da Humanidade pela UNESCO serve de moldura para o Monumento Estácio de Sá, que abriga a exposição. Localizada no Aterro do Flamengo, a construção em si já é uma obra arte: um obelisco triangular, criado em 1973 por Lúcio Costa.   

E é no subsolo do monumento que a história do ANIMA MUNDI é contada. De acordo com Jair de Souza, responsável pelo projeto expográfico da mostra, o objetivo foi reverenciar o espaço como originalmente pensado por Lúcio. “Esse espaço ainda é pouco conhecido e deve ser descoberto pelos cariocas”, completou o designer.

Troféus ANIMA MUNDI

A coleção de troféus desde 1993 até hoje

A imprensa também correu para prestigiar a exposição e o apresentador do programa Animania, Quiá Rodrigues, resumiu a importância dessas duas décadas de festival de uma maneira bem legal: “Quando eu penso em ANIMA MUNDI, a imagem que vem a minha cabeça é um farol com os barquinhos na tempestade.”

Imagine então a emoção de um dos criadores desse farol! Cesar Coelho recordou a época em que o ANIMA MUNDI ainda era uma novidade: “No Brasil as pessoas não sabiam o que era animação e que a gente tinha capacidade pra isso. Hoje há uma geração que cresceu com o ANIMA MUNDI e que já o vê com naturalidade.” Segundo ele, ao visitar a exposição, esses fãs irão compreender melhor como foi a caminhada que fez do festival o que ele é hoje.

César Coelho e os troféus

O diretor do festival e curador da exposição Cesar Coelho

Na exposição, os animaníacos vão se deparar com uma grande mesa onde há um mapa animado e interativo. Ele mostra todas as cidades do planeta já alcançadas pelos tentáculos do ANIMA MUNDI, seja por um filme premiado ou um convidado nativo. A interação é toda feita por telas touch screen: basta tocar no nome do filme ou convidado para que um alvo apareça sobre sua cidade de origem.

Mapa Animado

O mapa animado e interativo que mostra o alcance do ANIMA MUNDI no globo

Léa Zagury, diretora do ANIMA MUNDI, acredita que os fãs irão se reconhecer em algumas fotos e ainda poderão ver todos os troféus, um dos destaques da mostra. “Há também uma sessão de curtas dividida por técnicas que ajudarão o público a relembrar um pouco dos filmes que marcaram esses 20 anos.”, disse Léa, que também é curadora da exposição. “Acho que eles vão gostar, tá bem bonito.”

Léa Zagury no documentário

Léa Zagury em cena do documentário feito para a exposição

Em outro painel digital, também é possível ver o perfil de todos os 85 convidados que já participaram do ANIMA MUNDI. Mas o antigo também tem vez! O público poderá brincar com um item dos primórdios da animação: o praxinoscópio, um aparelho de ilusão ótica que anima uma sequência de desenhos quando girado. Conheça mais sobre esta máquina aqui. Outra atração é um mural digital com fotos e vídeos de palestras, debates e atividades realizadas ao longo dessas duas décadas.

Praxinoscópio da exposição

O praxinoscópio que anima os desenhos de Joanna Quinn

E como se tudo isso já não fosse o bastante, um documentário dirigido por Alejandro Gedeón para comemorar a data também está sendo exibido no local. “O filme conta a história de como nós nos conhecemos, de como nasceu a ideia de fazer o festival e qual era a conjuntura política e econômica da época.”, explicou Marcos Magalhães, também diretor do ANIMA MUNDI.

Tablet Exposição

O tablet touch screen, no qual você toca e escolhe por onde passear no passado do ANIMA MUNDI

Aída Queiroz, a quarta e última diretora, vê o ANIMA MUNDI como um exemplo de que vale a pena seguir o que você acredita. Relembrando o início árduo em 1993, tempos de pós-Collor no Brasil, ela afirmou que “crise faz isso mesmo, faz coisas boas aparecerem. Agora o festival pretende continuar acompanhando os avanços tecnológicos, os bons critérios de seleção e continuar como vitrine e incentivador para novos talentos.” É o que esperamos!

A exposição ANIMA MUNDI 20 ANOS estará aberta todos os dias, das 11h às 20h. A entrada é franca! Quer saber como chegar?

 

Comentários

Voltar

Telefones:
(55 21) 2543-8860
(55 21) 2541-7499

fb-form insta-form tt-form yt-form