PT | EN

Quando a gente assiste a um filme animado, não pensamos que aqueles personagens na nossa frente já foram apenas desenhos em uma folha de papel. E é mais estranho ainda pensar que eles, com uma simples borracha, podiam ter sido completamente diferentes. Mas é assim mesmo que a animação funciona! Tudo é criado na cabeça dos artistas, eles são os verdadeiros deuses da animação!

Mas não vai achando que isso é fácil… O processo de criação de personagens requer muita criatividade e muito talento! É extremamente raro o animador já imaginar seus personagens do mesmo jeito que eles vão estar no final da produção. Na verdade, muitas ideias passam pela cabeça deles antes de escolherem que caminho vão tomar.

Eric Goldberg é um importante nome da animação internacional e vai ministrar uma Masterclass no ANIMA FORUM

Eric Goldberg participou de famosíssimas produções, como Pocahontas, Hércules, Aladdin e Fantasia 2000

Já imaginou se o Sulley de Monstros S.A. tivesse mais de dois olhos? Ou se o Gênio de Aladdin fosse meio demoníaco? Não? Bem, essas ideias passaram na cabeça dos seus criadores, o que que você acha delas?

Criação de personagem

Em 2002, Monstros S.A. ganhou o prêmio de Melhor Animação de Personagem dos Annie Awards


Criação de personagem

Dentre muitos prêmios, Aladdin ganhou Melhor Animação em Longa-Metragem nos Annie Awards

Como muitos animaníacos devem saber, o Gênio foi criado pelo incrível Eric Goldberg, que esteve com a gente esse ano para uma Masterclass. De acordo com o animador, o processo de criação tem um número enorme de etapas e é influenciado de todos os lados. Para o Gênio, por exemplo, foi muito importante a presença de Robin Williams, que fez a voz do personagem, moldando-o com seu talento. Mas as influências não pararam por aí. Golberg conta que foi muito inspirado pelo ilustrador Al Hirschfeld e pelos animadores Fred Moore e Ward Kimball. Tá vendo? Para criar um só personagem, já se tem muita coisa pra pensar!

Dá pra perceber o quão difícil é, né? O design do personagem, que já é muito complicado de se pensar, tem que corresponder a características de sua personalidade, que tem que se moldar ao ator que grava a voz original. Fora que existem, é claro, muitas exigências dos diretores e produtores.

Gênio, Aladdin

O Gênio de Aladdin, com toda sua excentricidade, foi uma grande mudança para os personagens da Disney

No Anima Mundi 2014, passou outra artista que criou um personagem maravilhoso que encantou a todos! Rosana Urbes, com Guida, ganhou inúmeros prêmios no nosso festival, super merecido! O processo de criação desse curta, porém, é um tanto diferente do de grandes produções, como a de Aladdin. O filme foi dirigido pela própria Rosana, que ficou responsável por tudo: ideias, conceitos, designs e muito mais.

Observando seu processo, podemos ver como a artista expressou os conceitos do filme em sua personagem, o que é uma tarefa árdua e absolutamente essencial para o sucesso de qualquer produção animada. Em um de seus rascunhos, por exemplo, vemos que ela quis traduzir a ideia da “arte como tentativa de dizer o que não pode ser dito” na protagonista da história. E, com todo seu talento, ela definitivamente conseguiu! Mas não deve ter sido fácil…

Guida

Rosana Urbes diz que é no rascunho que a magia da animação acontece

Quanto ao design, fica uma dica para quem quer animar: Rosana disse, em entrevista a Revista Ilustrar, que conhecimento de anatomia é muito importante para a criação de qualquer personagem. Em suas palavras, “é a base e o berço de tudo em desenho. Todas as regras de design, equilíbrio entre formas, reta contra curva, peso, altura, idade, são informações extraídas do mundo natural”.

Mas existem mais um milhão de faces da criação de personagens! Regina Pessoa, por exemplo, fez uma espécie de trilogia influenciada fortemente por sua infância, criando seus personagens com base em medos, angústias, ideias e sonhos próprios. Essa, inclusive, é uma técnica recomendada para animadores sem muita experiência em contar histórias: quando falamos de nós mesmos, é mais fácil refletir o que queremos na imagem, criando uma identificação maior do espectador.

Regina Pessoa, A Noite

A ideia de falar de sua infância surgiu de um conselho de Abi Feijó: “Não se preocupem em escrever, em procurar as palavras numa estrutura clássica; falem de algo que seja importante para vocês, que vos diga algo; se se empenharem, isso vê-se nas imagens, e quem vir essas imagens também o sente”

Mas, na criação de personagens, o desafio não está só em criar a ideia, o conceito e o desenho. Os animadores também precisam dar vida às suas criações e torná-las, de certo modo, reais. Quando vemos uma animação, nós não ficamos pensando que aqueles personagens são só bonecos, desenhos ou construções digitais. Para que a gente se emocione, sentindo medo, felicidade, ansiedade, tensão e, enfim, todas essas sensações que os filmes despertam em nós, aqueles personagens precisam parecer de carne e osso.

Esse foi um dos maiores desafios da equipe de Henry Selick na criação de Coraline. Os bonecos, cenários e, enfim, todo o mundo são trazidos à vida pelos animadores. Tudo é meticulosamente construído e parece ser, para nós, de verdade. Selick conta que, para criar o design perfeito da menina, ele fez inúmeros desenhos, esculturas e versões de cabelo, para enfim encontrar a personagem ideal. Foi preciso criar 28 bonecos idênticos de Coraline, e cada um foi feito por 10 pessoas! Segundo Selick, os bonecos são o ator fora de cena e, por isso, têm um papel de grande destaque. Por isso, foi muito importante trabalhar intensamente com suas expressões: havia mais de 6.300 peças para serem substituídas e mais de 207 mil possibilidades de combinações de rostos!

Assim como Goldberg, Selick fala também da importância da voz original, que, segundo ele, é um dos elementos que, combinado com os demais, dá vida aos personagens. De acordo com o diretor, as vozes se tornam o “veículo para os animadores expressarem suas habilidades de atuação”.

Criação de personagem

Segundo Selick, uma das coisas mais importantes é colocar amor e carinho em todas as aparências dos personagens

Para você ver, tudo que nós assistimos nas animações é criado e montado por pessoas que de fato constroem um mundo, uma nova realidade que precisa, ao máximo, envolver e convencer o espectador. Os animadores e artistas criam personagens que vivem e respiram. Pelo menos aos nossos olhos.